Rádio Irani

Clientes de geração em geração

Para a dona Rosa Amaral Bueno, cliente Irani há mais de 30 anos, o mercado é parte de uma tradição familiar

Clientes de geração em geração

Na família da dona Rosa Amaral Bueno, o Irani é uma tradição. Assim como uma herança, ele foi passado de geração em geração, de mãe para filha. E o começo dessa história foi há muito tempo, quando a rede de supermercados ainda era uma simples mercearia.

Dessa época, dona Rosa lembra pouco, mas ainda consegue descrever os momentos vividos com o Irani. "Lembro bem que nós moramos em uma serraria, onde hoje é o Reassentamento São Francisco, e todo dia de pagamento o pessoal vinha buscar a gente de kombi pra fazer o rancho do mês. A gente gostava de ir lá porque sempre éramos bem atendidos", conta.

Com prateleiras repletas de produtos, sem divisão de setores e uma variedade restrita de mercadorias, o mercadinho Irani era parada obrigatória, mesmo que fosse para comprar o básico. E, quando chegavam novidades às prateleiras, os itens paravam até nos álbuns de fotos da família. "Até hoje tenho memórias de quando começaram a vender frutas diferentes. Lembro que eu e a minha irmã tiramos uma foto cortando uma das primeiras melancias que compramos no Irani", comenta.

Depois de tantos anos, a história do Irani também acabou fazendo parte do acervo de memórias pessoais da dona Rosa. O nome do mercado esteve presente até mesmo quando sua filha aprendeu a falar. "Falávamos tanto do mercado que quando minha filha foi aprender a falar, ela falava 'Inari' no lugar de Irani", relembra.

Mais que uma relação de cliente e estabelecimento, dona Rosa e o Irani criaram um vínculo para a vida toda. Os dois cresceram juntos, amadureceram e aumentaram suas famílias. E, mesmo assim, continuaram juntos, lado a lado. Dona Rosa, com 57 anos, e o Irani, completando seus primeiros 50.